quinta-feira, 30 de outubro de 2014



Hoje é o amanhã de ontem. Entre ontem à noite e hoje mil anos passaram. 
Eternidades suspensas no sol que queima o tempo. 
Sei que provavelmente não haverá calor nos dias de chuva. O homem ainda não inventou um fogo que nunca se apague.
O homem inventou os sentimentos e apagou as cores do mundo. Destruiu a paisagem abstracta e com o vermelho, o preto e o branco pintou a tela.
O homem desenha as formas, fantasia sobre sexo e amor. Procura encontrar um sentido, trabalha sem parar e um dia envelhece. Envelhece e esquece que amanhã é o dia depois da véspera de outro amanhã.

12 comentários:

Shiver disse...

Grande imagem,belo começo.

Imprópriaparaconsumo disse...

Esquecer às vezes é preciso .:)

Desamarrado disse...

Shiver: Começar é fácil. Obrigado.
Abraço

Desamarrado disse...

Imprópria: esquecer é talvez um mal necessário.
Um beijo

MissM Silvia disse...

Dias que se constroem e destroem na busca de algo melhor :)
Beijo

Desamarrado disse...

MissM Silvia: Procurar sempre e mais é o caminho.
Um beijo

Til disse...

O verdadeiro problema é quando o amanhã já passou:(

Desamarrado disse...

Til : há que tratar do hoje. Sem demora. :)

Sandra Louçano disse...

O tempo ensinou-me que o presente é um presente dado à vida. E viver é hoje, o ontem já foi, o amanhã é uma interrogação, ou três pontos em linha corrida...

Desamarrado disse...

Sandra : temos então reticências na linha do tempo :)

Anónimo disse...

Tinha muitas saudades de te ler.
Beijo
M.

Desamarrado disse...

Anónimo: Isso quer dizer que eu já escrevia antes? Não me parece:)

Enviar um comentário